Make your own free website on Tripod.com

Abdominoplastia
Plástica de abdome


- Indicações : A plástica de abdome é recomendada para pacientes em que, além de excesso de gordura, haja flacidez de pele e da musculatura da barriga. Nestes casos, uma lipoaspiração só iria acentuar esta flacidez, aumentando o chamado aspecto "em avental", que tanto incomoda, e que somente pode ser corrigido com a cirurgia. São geralmente candidatas a este tipo de intervenção as mulheres que tenham sofrido, durante uma ou mais gestações, uma distensão acentuada destes tecidos.

- Técnica : É feita a retirada de uma elipse de pele na parte inferior do abdome, com o descolamento e o deslocamento da pele da parte superior até a região pubiana, onde é feita a sutura. A extensão desta ressecção vai depender do excesso de pele observado em cada caso. Em casos menos acentuados, é retirada pele apenas abaixo do umbigo, que é discretamente deslocado para baixo, e a cicatriz fica pouco maior do que uma cesareana (MINIABDOMINOPLASTIA). Em pacientes com quadros mais exuberantes, a retirada do retalho cutâneo vai até acima do umbigo, que é poupado e recolocado em sua localização normal. Habitualmente, estas ressecções maiores exigem uma cicatriz mais extensa. Ainda assim, ela é mantida na linha pubiana, se alongando lateralmente na projeção das pregas abdominais inferiores, de forma a se tornar pouco evidente, e a permitir o uso de qualquer roupa que exponha a barriga. Para completar a recomposição do contorno corporal, é feito, sempre, um pregueamento da musculatura abdominal e a retirada do excesso de gordura. A cirurgia pode, ainda, ser associada a lipoaspiracão de cintura, flancos ou abdome superior.

- Anestesia : A anestesia para a abdominoplastia pode ser Peridural (mais frequente) ou geral, a critério do anestesista.

- Pós-operatório : O descolamento da pele do abdome cria um espaço, que deve ser mantido sob compressão, para facilitar a adesão desta pele aos planos profundos e para evitar o acúmulo de líquido seroso, proveniente da dissolução de gordura. Esta compressão é feita com uma cinta, e é indispensável para um resultado melhor e mais rápido. Além disso, é também essencial o repouso absoluto, que além de contribuir para uma boa acomodação da pele, evita que haja tensão e consequente alargamento na cicatriz. Mesmo após um mês de pós-operatório, quando a paciente já pode retornar às suas atividades normais, devem ser evitados exercícios e movimentos que possam prejudicar a cicatrização, uma vez que este processo só se completa em 3 meses, havendo, até então, o risco de alargamento.

- Contra-indicações : Embora não seja uma contra-indicação absoluta, devem ser avaliados cuidadosamente os pacientes que apresentem doenças pulmonares, que possam ser agravadas pelo aumento da pressão no abdome, decorrente do pregueamento da musculatura. Além disso, mulheres que ainda pretendam ou possam engravidar não são boas candidatas para a abdominoplastia. Por fim, embora esta cirurgia seja frequentemente associada a pessoas gordinhas, é importante ter em mente que a operação corrige as deformidades de contorno localizadas no abdome, por flacidez de pele e de músculo. Isto não significa que o paciente vá ficar magro. Na verdade, o ideal, para os gordinhos, é sempre tentar perder peso antes do tratamento cirúrgico, o que possibilita melhores resultados, menos riscos, e maior satisfação pessoal.

BLEFAROPLASTIA
Cirurgia das Pálpebras


- Indicações : Certamente, uma boa parte do ar "cansado" e do aspecto envelhecido que incomoda tanta gente se deve às pálpebras. O excesso de pele e o acúmulo de gordura em bolsas nestas regiões acabam levando a esta indesejável situação. A cirurgia das pálpebras recompõe a anatomia desta região, devolvendo uma expressão mais jovem e disposta a estas pessoas.

- Técnica : A Blefaroplastia é uma cirurgia simples, que pode ser realizada apenas nas pálpebras inferiores, nas superiores ou, como ocorre na maioria das oportunidades, em ambas. É retirado o excesso de pele, ressecada parte da gordura que se aloja em bolsas, logo abaixo da camada muscular, e feita a sutura com um fio bem fino. As cicatrizes ficam invisíveis depois de algum tempo.

- Anestesia : Esta cirurgia é feita sob anestesia local.

- Pós-operatório : É sempre recomendado o uso de gelo no local, para minimizar o edema (inchação) e as equimoses, que normalmente ocorrem. De qualquer forma, estas manifestações regridem em aproximadamente 15 dias.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização desta cirurgia.

DERMO-SUSTENTAÇÃO


- Indicações : Corrigir a flacidez de pele em face e pescoço, em que não haja necessidade de Lifting. Em geral, é uma boa alternativa para pacientes com idades entre 40 e 60 anos, que não precisem ou que prefiram não fazer uma cirurgia maior.

- Técnica : Na Dermo-sustentação de face, o objetivo é levantar as "bochechas" caídas, melhorando o contorno do queixo e atenuando os sulcos naso-labiais, além de elevar os cantos das sobrancelhas. Este resultado é obtido com a passagem de um fio de consistência elástica desde a região temporal, através de uma incisão em elípse feita acima da linha de implantação dos cabelos, até a região molar ("bochecha"). Neste local é feito apenas um pequeno orifício, que não precisa de pontos, e que não deixa marcas. A incisão da região temporal também não deixa cicatrizes visíveis, já que os cabelos escondem o corte. Além da tração do fio, a retirada da elípse do couro cabeludo ajuda a esticar a pele e a levantar a parte lateral da sobrancelha. O procedimento é, evidentemente, bilateral, e leva ao todo 40 min. Na Dermo-sustentação cervical a técnica é semelhante, sendo o fio passado por uma incisão realizada atrás da orelha, na linha de implantação do cabelo, e fixado na parte anterior do pescoço, num ângulo que permite esticar esta pele no sentido lateral e superior.

- Anestesia : Estas cirurgias são realizadas com anestesia local.

- Pós-operatório
: Uma das vantagens desta técnica em relação a um Lifting é justamente no curativo. Habitualmente é colocada apenas uma atadura em torno da cabeça, na altura das incisões temporais, para compressão, por 2 dias. O uso de compressas de gelo no pós-operatório imediato evita a formação de edemas, hematomas ou equimoses significativas. Nos poucos casos em que aparecem equimoses, é fundamental ter o cuidado de não expor á luz solar, para não provocar manchas de difícil solução.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização desta cirurgia. A opção por esta técnica, ao invés de um possível Lifting, deve ser feita de comum acordo entre o paciente e o cirurgião, tendo em mente as vantagens e as limitações que ela oferece.


TRATAMENTO DA CALVÍCIE

- Indicações : Calvícies de qualquer tipo e extensão, em homens de qualquer idade, inclusive os mais jovens, com pequenas entradas, e que preferem não esperar a evolução do processo para depois tratar. Também indicado para mulheres com alopécia localizada ou com pouco cabelo, além dos casos de cicatrizes ou enxertos de pele na região de couro cabeludo, que podem ser "disfarçados"com o implante capilar ou com a manipulação de retalhos.

- Técnica : Podem ser feitos implantes de cabelo em qualquer parte ou extensão do couro cabeludo. Além desses procedimentos, ou associada a eles, pode também ser realizada uma ressecção ou rotação de retalho, de forma a diminuir a área de calvície, nos casos em que o problema é localizado. Os implantes podem ser feitos com cabelo natural ou artificial. O cabelo artificial, importado, é oferecido em diversos padrões, de forma a atender aos mais diferentes tipos de pacientes. É colocado um por um, e a quantidade de fios necessários para cada região é avaliada segundo um esquema pré-determinado, podendo variar de 150 à 7000. Nos casos de áreas de calvície maiores, o procedimento é realizado em mais de uma etapa. Já o cabelo natural é retirado do próprio paciente, sendo a técnica mais empregada, e a de melhores resultados, a que ultiliza os micro-enxertos. Este procedimento consiste na retirada de uma elipse de couro cabeludo, com os cabelos previamente aparados, da parte de trás da cabeça, onde os folículos são resistentes à calvície. Esta faixa, de aproximadamente 12x2 cm, é cortada cuidadosamente em pequenos enxertos (de 500 à 600), cada um contendo entre 1 e 4 folículos. Uma vez suturado o couro cabeludo, o próprio cabelo remanescente nesta parte posterior cobre a cicatriz. Os micro-enxertos são, por sua vez, colocados, um por um, na área preliminarmente marcada. A colocação dos enxertos mais finos, com 1 ou 2 cabelos e dispostos de maneira propositalmente irregular, nas linhas frontais, garante um resultado muito mais estético e natural do que os antigos "tufos". Além disso, os pequenos enxertos podem ser colocados com micro-incisões, que cicatrizam em poucos dias, sem "revelar"o implante realizado. O cabelo implantado, cortado rente, também tende a cair em alguns dias. Porém, o folículo, conservando sua característica original de ser resistente à calvície, produz um novo fio, que começa a aparecer 3 meses depois da cirurgia, e que crescerá por toda a vida.

- Anestesia : Estas cirurgias são feitas sob anestesia local, com o paciente sentado.

- Pós-operatório : Nos casos em que há manipulação de retalhos, as suturas não exigem maiores cuidados, e as cicatrizes são, posteriormente, encobertas pelo próprio cabelo do paciente. Os cabelos artificiais funcionam, inicialmente, como corpos estranhos, podendo causar uma leve reação. O uso de medicamentos anti-inflamatórios e de loções anti-sépticas controlam rapidamente este processo. Os enxertos naturais recém-colocados só estarão fixos após 48 h. Durante este período, a manipulação ou a compressão do couro cabeludo pode causar a perda de alguns deles. Além disso, qualquer aumento significativo da pressão sanguínea, causado, por exemplo, por esforço fisico, pode levar à sangramento e à expulsão de enxertos. Por isto, o uso de curativos anti-aderentes e o repouso são indispensáveis nos primeiros dias. Este curativo é retirado pelo médico, no prazo estipulado, e, só então a cabeça é lavada e é prescrito o xampu adequado para o uso do paciente. O anestésico infiltrado na cabeça desce pela região frontal, nos dias seguintes ao procedimento, podendo causar inchação, que regride gradualmente, sem demandar maiores cuidados.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização destas cirurgias.

RESSECÇÃO DE GINECOMASTIA


- Indicações : A Ginecomastia (hipertrofia da mama masculina) é uma condição que, independentemente da causa, traz constrangimentos ao paciente. Excetuando-se os casos em que a patologia ocorre durante a puberdade, quando pode ser transitória e deve ser acompanhada e tratada por um endocrinologista, o único tratamento seguro e eficaz é a ressecção cirúrgica da glândula mamária.

- Técnica : Através de uma incisão semi-circular que acompanha a borda inferior da aréola faz-se a retirada de todo o tecido mamário hipertrofiado. O mamilo é ainda fixado aos planos profundos e a incisão fechada com pontos especiais, que não deixam marca na pele adjacente. Um curativo compressivo impede a formação de hematomas no espaço deixado, e deve permanecer por pelo menos 48 horas.

- Anestesia : Esta cirurgia é realizada com anestesia local.

- Pós-operatório : Além do curativo, o uso de gelo e o repouso com os membros superiores ajudam a diminuir o edema e a evitar os hematomas. De qualquer forma, este é um procedimento simples, que dispensa maoires cuidados. Após a retirada dos pontos, em no máximo 10 dias, o paciente já está apto para voltar a todas as suas atividades.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização desta cirurgia.

LIFTING / MINI-LIFTING
Plástica de Face

- Indicações : É a cirurgia plástica rejuvenecedora, aquela que procura corrigir os efeitos do tempo sobre a face, que se apresentam como rugas e sulcos, decorrentes da queda natural da pele e da flacidez da musculatura própria da região.

- Técnica : No Lifting, é feita uma incisão transversal no couro cabeludo, que desce para os dois lados, passa à frente das orelhas, e contorna por baixo delas, indo até a raiz dos cabelos. Com o descolamento da pele, em toda esta extensão, é possível "esticá-la", desfazendo ou minimizando dobras e sulcos, levantando as sobrancelhas e bochechas, devolvendo ao rosto um aspecto mais jovial. No Mini-Lifting, as incisões laterais não sobem até o meio do couro cabeludo, e, desta forma, não é feita a correção da testa, sendo este procedimento indicado para os pacientes que não apresentam rugas nesta região. Em ambas as técnicas, as cicatrizes ficam, em parte, recobertas pelos cabelos, e a parte junto às orelhas tende a ficar praticamente imperceptível. Ao fim da cirurgia, a cabeça é enfaixada, para proteger suturas e comprimir suavemente as áreas descoladas, evitando assim a formação de hematomas e ajudando a pele a se fixar na posição correta.

- Anestesia : Estes procedimentos são feitos geralmente sob anestesia geral. Porém, exepcionalmente, podem ser realizados com anestesia local, dependendo de fatores como a tolerância do paciente e a extenção da cirurgia.

- Pós-operatório : O curativo, ainda que possa causar algum desconforto, é habitualmente bem tolerado. De qualquer forma, ele é fundamental para o resultado do procedimento, e não pode ser removido antes do prazo estipulado pelo médico, que pode chegar a uma semana. Edemas e equimoses são comuns, e costumam regredir significativamente em aproximadamente 15 dias. O resultado final é observado após 1 mês, e certamente compensa eventuais sacrifícios.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização desta cirurgia. O uso de substâncias vasoconstritoras no local, para diminuir o sangramento durante a cirurgia, é rotineiro, mas é sempre reavaliado quando o paciente apresenta hipertensão ou cardiopatias relevantes. Pacientes tabagistas também merecem cuidados, não só quanto a saúde em geral (sempre observados, para qualquer cirurgia), mas especificamente em relação a qualidade da pele, que pode, em alguns casos, demandar um tratamento prévio.

LIPOASPIRAÇÃO/LIPOESCULTURA


- Indicações : Retirar gordura localizada, em regiões como abdome, cintura, costas, culote, face interna das coxas, mento (papada), etc.. O conceito de LIPOESCULTURA se refere aos casos em que a quantidade de gordura a ser aspirada não é muito grande, sendo possível fazer a sucção com cânulas finas e seringas. Nestes casos, este tecido adiposo pode ser aproveitado para injeção em outras áreas, onde existam depressões que, assim como a gordura localizada, prejudiquem o contorno corporal.

- Técnica : Através de uma pequena incisão na pele (0,5 cm), é introduzida uma cânula na camada adiposa, que permite aspirar as células gordurosas localizadas em uma região previamente delimitada. O vácuo é obtido com o auxílio de um Lipoaspidador elétrico, mais utilizado nos casos de maior volume a ser aspirado, ou de uma seringa de 50 ml, que também se aplica aos casos de Lipoescultura. Antes da aspiração, é injetada em toda a área demarcada uma solução que ajuda a soltar e dissolver a gordura, além de diminuir o fluxo sanguíneo no local, reduzindo o sangramento.

- Anestesia : É muito variável a quantidade e a localização da gordura a ser aspirada em cada paciente. Não há, por isso, uma regra quanto a técnica anestésica indicada. As mais frequentemente utilizadas são o bloqueio peridural, já que na maioria dos casos a área em questão está localizada no abdome ou abaixo, e a anestesia local, na qual o anestésico é injetado juntamente com a solução mencionada no item anterior, e que se aplica bem aos casos de regiões pequenas, como o mento, por exemplo.

- Pós-operatório : A aspiração das células gordurosas provoca um certo grau de traumatismo no local, levando a um edema (inchação) difuso, geralmente sem causar dor significativa. O uso de cintas ou curativos compressivos pode ser indicado, assim como devem ser evitados esforços que envolvam a região operada, para não aumentar o edema. Em uma segunda fase, o uso de massagens ou drenagem linfática pode ser útil para complementação do tratamento. De qualquer forma, o resultado definitivo só é visível a partir de 3 meses, com a regressão total do referido edema.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização de uma lipoaspiração. Porém, cabe destacar que o método é indicado para retirada de gordura localizada, não devendo ser confundido com tratamento para emagrecer. Além disso, só a camada adiposa é tratada, sendo também incerto o resultado quando há muita flacidez de pele na região aspirada. Por fim, existe um limite para o volume a ser aspirado, o que pode, eventualmente, obrigar a divisão do procedimento em 2 tempos.

MAMOPLASTIA
Plástica de mama feminina


- Indicações : Mamas hipertróficas (grandes)
Mamas ptosadas (caídas)
Mamas assimétricas

- Técnica : Cada caso tem suas próprias características. De um modo geral, de acordo com a detalhada marcação prévia, no quarto, das medidas que definirão a futura mama, são retirados os excessos de pele, gordura e glândula mamária. O tecido restante é "montado", para dar forma e sustentação a nova mama. A cicatriz varia em função da maior ou menor necessidade de ressecção tecidual. Assim, a correção de uma hipertrofia volumosa geralmente exige uma cicatriz em T invertido, enquanto que uma mama apenas caída pode ser corrigida pela técnica periareolar (incisão em torno do mamilo, com cicatriz quase imperceptível) ou com uma única cicatriz vertical abaixo do mamilo.

- Anestesia : Geralmente estes procedimentos são realizados com anestesia geral. Excepcionalmente, em casos selecionados, podem ser efetuados sob anestesia local.

- Pós-operatório : Ocorre comumente um edema (inchação) nas mamas, com pouco desconforto para a paciente. O uso do Soutien é fundamental para a sustentação das mamas nesta fase, assim como o curativo compressivo, que só deve ser retirado pelo médico, no prazo recomendado. O repouso com os braços também é importante para não aumentar o edema e não forçar as cicatrizes. A volta ao trabalho depende, portanto, do tipo de atividade de cada paciente. Em aproximadamente 30 dias, esta primeira etapa da recuperação está concluída, porém o resultado final só será observado após, no mínimo, 3 meses, quando a mama deve alcançar seu contorno definitivo, mais natural. Normalmente, a cirurgia não prejudica uma futura amamentação.

- Contra-indicações : Não existem restrições específicas para a realização desta cirurgia.

MAMOPLASTIA DE AUMENTO
Colocação de prótese


- Indicações : Mamas de volume pequeno, sem ptose (queda) importante.

- Técnica : Podem ser usadas vários tipos de próteses, como as de silicone ou poliuretano, sempre encapsuladas, ou seja, com o material gelatinoso fechado dentro de uma cápsula flexível, porém resistente. Elas podem, ainda, ser de vários tamanhos e formas, para que se adaptem a cada paciente. A "bolsa" é colocada entre a glândula mamária e o músculo peitoral, ou abaixo deste músculo, através de uma pequena incisão na borda da aréola , onde a cicatriz praticamente não é notada. É importante destacar que, apesar de todos os boatos, os estudos científicos realizados até hoje não demonstraram nenhuma correlação entre o uso da prótese e câncer de mama.

- Anestesia : Habitualmente é utilizada a anestesia geral. Em casos especiais, a cirurgia pode ser feita com anestesia local.

- Pós-operatório : A prótese geralmente não provoca qualquer reação, e o edema (inchação), decorrente da manipulação da mama, não costuma ser grande. O repouso é recomendado apenas para não prejudicar a cicatrização. A prótese não interfere a glândula mamária, não havendo nenhum prejuízo para uma eventual amamentação.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a colocação de próteses, sendo importante, apenas, o exame cuidadoso no pré-operatório , para determinação do tamanho, e das técnicas ideais para cada caso.

OTOPLASTIA
Correção de orelha de abano


- Indicação : Correção da chamada "orelha de abano", com a colocação da mesma em uma posição anatômica e esteticamente normal.

- Técnica : A cirurgia consiste no remodelamento da estrutura cartilaginosa da orelha, através de uma incisão feita por trás dela, de onde é retirado, também, o excesso de pele. Assim, normalmente não ficam cicatrizes visíveis. Apenas em casos muito especiais, pode ser necessário algum pequeno retoque na parte anterior da orelha, que, de qualquer forma, costuma ser praticamente imperceptível. A consolidação da cartilagem em sua nova forma leva em torno de 1 mês, e, durante este tempo, é importante o uso de uma faixa para manter a orelha na posiçao adequada.

- Anestesia : A anestesia para este procedimento é local.

- Pós operatório : A cirurgia oferece um ótimo resultado imediato, com grande satisfação para os pacientes. No entanto, é indispensável o uso do curativo oclusivo por 10 dias (até a retirada dos pontos), e, posteriormente, da faixa. O descuido com estas medidas pode acarretar o retorno da cartilagem à posicão original.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações para esta cirurgia.

PRÓTESE DE GLÚTEO


- Indicações : Pacientes que desejam aumentar a região glútea e o quadril.

- Técnica : Existem vários tipos de próteses, como as de silicone ou poliuretano, sempre encapsuladas, ou seja, com o material gelatinoso fechado dentro de uma cápsula flexível, porém resistente. Existem também vários modelos - redondas, ovais, elípticas, mais altas ou mais baixas - e tamanhos, de maneira que seja possível escolher a mais indicada para cada paciente. As próteses são colocadas entre os músculos Pequeno e Grande Glúteos, uma em cada lado, através de uma incisão única no sulco interglúteo. A cicatriz neste local fica praticamente imperceptível.

- Anestesia : A rotina para este procedimento é usar a anestesia Peridural.

- Pós-operatório : A prótese geralmente não provoca reação. O descolamento entre as duas camadas musculares pode provocar edema e, excepcionalmente, hematoma, além de um natural desconforto à movimentação. Para minorar estes efeitos, é utilizada uma cinta, além de medicação anti-inflamatória e analgésica. O repouso é recomendado para não aumentar o edema nos primeiros dias, e para não prejudicar a cicatrização da ferida operatória.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a colocação de próteses. É importante a avaliação cuidadosa da paciente, levando-se em conta inclusive suas próprias preferências estéticas, para a determinação do tamanho e do modelo ideal de prótese para cada caso.

RINOPLASTIA
Plástica de Nariz


- Indicações : A plástica de nariz tem como objetivo corrigir imperfeições na forma do nariz, que prejudiquem o equilíbrio estético da face.

- Técnica : A técnica varia de acordo com a correção a ser feita. Assim, existem soluções específicas para cada situação. A diminuição da abertura das narinas, por exemplo, e conseguida com a ressecção de parte da cartilagem alar e, se necessário, de uma cunha de pele de cada lado, junto à face, com cicatriz imperceptível . Para afinar a ponta é também ressecada parte do tecido cartilaginoso desta região, sendo a incisão por dentro do nariz, não deixando marcas visíveis. A ponta pode ser, ainda, levantada, com o enxerto de um fragmento de cartilagem aposto ao septo. Correções no contorno do dorso nasal, seja para afinar ou para retificar o perfil, são feitas igualmente através de incisões internas, sem cicatrizes. De um modo geral, são feitos curativos para moldar a cartilagem nasal em sua nova posição

- Anestesia : A anestesia para a plástica de nariz pode ser local ou geral, dependendo de fatores como a tolerância do paciente e a extenção da cirurgia.

- Pós-operatório : A manipulação do nariz, assim como o próprio curativo, podem causar certa dificuldade em respirar pelas narinas. De qualquer forma, é importante manter o curativo pelo tempo determinado. O edema costuma regredir significativamente em 15 dias, e não são comuns outras complicações.

- Contra-indicações : Não existem contra-indicações específicas para a realização desta cirurgia. O uso de substâncias vasoconstritoras no local, para diminuir o sangramento durante a cirurgia, é rotineiro, mas é sempre reavaliado quando o paciente apresenta hipertensão ou cardiopatias relevantes. A técnica anestésica empregada, como já foi mencionado, deve ser adequada a cada caso, de forma a atender as necessidades dos pacientes. 

| Voltar |